sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Guru e seu Jazzmatazz




Por Rogério Dias


Finalmente tenho em mãos um dos discos mais cultuados dos últimos tempos, justamente pela genialidade do projeto. O cd em questão é o primeiro Jazzmatazz (1993) do rapper norte americano Guru, ou Keith Elam, seu nome de batismo.

Guru, que já debutava na cena através da dupla GangStarr, trabalho em que dividia o palco com o Dj Premier, lançou um dos mais musicais e inovadores discos do hip-hop mundial, que acabou indo além das expectativas e se transformando em um projeto super elogiado e aclamado pelo público.

Não que a mistura de jazz com hip-hop fosse alguma novidade, uma vez que nomes como o ótimo Digable Planets, A Tribe Called Quest e US3 já haviam experimentado a fusão e com sucesso, mas Guru conseguiu canalizar as duas energias (hip-hop e jazz) com maestria. O trabalho conseguiu reunir um time de jazzistas renomados, e trazer maior visibilidade a todo aquele movimento.

Entre os gigantes que contribuíram para a empreitada estão personas como o pianista Herbie Hancock, o "Soul man" Isaac Hayes e o trompetista Donald Byrd, uma das maiores autoridades em música Afro americana nos Estados unidos, além N’dea Davenport, vocal dos Brand New Heavis, e o rapper senegalês radicado na França , Mc Solaar na ótima "Le Bien, Le Mal". Uma faixa que também merece destaque especial é a Sights in the City, com participação de Carleen Anderson, metais e elementos eletrônicos em perfeita harmonia, além de ser uma das melhores interpretações de Guru.

O álbum lançado há mais de uma década, pode soar meio datado para ouvidos menos acostumados, mas a qualidade continua indiscutível, tanto que este primeiro disco rendeu frutos. Além do sucesso de vendas do álbum e elogios rasgados da crítica especializada, posteriormente vieram mais quatro discos com o selo Jazzmatazz, infelizmente nem todos com a mesma qualidade (o que não quer dizer que sejam discos ruins), mas com participações de gente de peso como as divas Shaka Khan, Mary J. Blidge e Erikah Badu, além de bandas tarimbadas como o Jamiroquai e o The Roots.

Este é um disco indispensável a qualquer um que pretenda entender um pouco sobre hip-hop, ele figura em qualquer lista dos 10 melhores álbuns da década de 90, e é um dos trabalhos capazes de devolver a dignidade ao gênero (coisa cada vez mais rara no meio mainstrean), além de impressionar até aqueles que "torcem o nariz" para o estilo.

O último Jazzmatazz foi lançado em 2007 (Jazzmatazz IV - The Hip Hop Jazz Messenger: Back To The Future) saiu pelo selo "7 Grand Records", do próprio Guru, quem assina a produção do álbum é o próprio Mc Solaar, parceiro de Guru desde o início do projeto. Resta saber se este último se mantém fiel ao espírito do primeiro, coisa que não aconteceu com nenhum dos outros discos. Quem puder corra atrás do seu e se conseguir encontrar o primeiro, melhor ainda.

Rogério Dias (ou Roger Deff para os brothers) é vocal do Julgamento, leitor assíduo de Hqs, colaborador da revista Jararaca Alegre, estudante de jornalismo nas horas vagas e apresenta um quadro semanal no programa a Hora do Rock.

Um comentário:

Evandro Emeci disse...

E ai meu parceiro Def, sem duvida essas compilações são pra quem tem bom gosto, o rap de altissimo nível do lendario Guru aliado aos monstros da musica, o volume II então ficou da cabeceira da cama durante muitos anos (hoje ele tá no PC rsrs) pra mim é o melhor deles